Elaborando um planejamento odontológico

Para Gestores : planejamento odontológico

O planejamento odontológico é o fator primordial para o sucesso do consultório (ou clínica).

Isso porque a gestão odontológica está cada vez mais desafiadora, exigindo planos e estratégias inovadoras.

Se antes era normal realizar um balanço financeiro e decidir o orçamento, agora os consultórios e clínicas precisam lidar com um cenário altamente complexo, que se transforma na velocidade do mundo digital.

E é por isso que você precisará de um ótimo planejamento estratégico para se manter à frente da concorrência.

Quer aprender a elaborar um planejamento odontológico eficaz? Então, continue lendo esse artigo:

O que é um planejamento odontológico?

O planejamento odontológico é um forma de gestão essencial para estimar metas e determinar os rumos do consultório (ou clínica).

Até porque o conceito de planejamento estratégico odontológico está associado à previsão, em um cenário de rápidas mudanças que exige a tomada de decisão com antecedência.

Dessa forma, qualquer planejamento inicia-se com a definição dos objetivos organizacionais e escolha de procedimentos e métodos para chegar lá, em um  processo que analisa cuidadosamente o ambiente e riscos envolvidos.

Mas, planejar as ações do consultório (ou clínica) não é mais uma demanda burocrática que se resume a números, gráficos e relatórios, como antigamente.

Na realidade, o processo de planejamento moderno pode estimular a criatividade e encorajar novas ideias para solucionar os problemas da gestão odontológica.

Em suma, planejar é determinar a direção a ser seguida para o próximo mês, ano ou década. Para isso, são necessários vários processos, desde o diagnóstico da situação até a elaboração de planos.

Existem 3 categorias essenciais de planejamento:

  • Planejamento estratégico: é o planejamento baseado na missão e visão do consultório (ou clínica), que traduz os objetivos centrais da organização, geralmente elaborado pela alta gerência;
  • Planejamento Tático: é aquele que o plano que resulta da decomposição dos objetivos e estratégias determinando como utilizar os recursos para alcançar as metas;
  • Planejamento Operacional: quando o plano prevê cronogramas, tarefas e alvos para cada área do consultório.  

O planejamentos periódico (anual, trimestral ou semestral) reúne essas três modelos e devem ser mesclados para tornar o processo mais completo, para preparar a empresa para qualquer situação.

 

Analisar o retrospecto

Antes de realizar seu planejamento odontológico, você precisa realizar um diagnóstico completo do que aconteceu anteriormente, no período passado.

Essa etapa permite realizar um check-up, para analisar os problemas enfrentados e avanços em relação às metas estabelecidas.

Neste momento, não adianta basear-se somente na intuição, como acontece com muitos gestores.

Isso porque o diagnóstico envolve dados, pesquisas e métricas que envolvem o cenário odontológico interno e externo.

Existem 4 métodos de diagnósticos:

  • Análise dos balanços financeiros em todos os departamentos;
  • Levantamento da estrutura de custos fixos e variáveis;
  • Análise mercadológica de posição, mercado consumidor e concorrência;
  • Análise do equilíbrio e capital de giro.

 

Faça benchmarking

Comparar-se com concorrência é forma de extrair do mercado odontológicos valiosos ensinamentos sobre o que pode dar certo e o que pode fracassar.

O benchmarking, é um estratégia fundamental para o sucesso da sua clínica (ou consultório). Não se trata de mera cópia, mas compreender o que dá certo, fazendo adaptações para a sua realidade.

 

Para o planejamento não elabore sonhos, elabore objetivos:

Com base em todos os pontos expostos, a avaliação do desempenho, pontos fortes e fraquezas, você estará preparado para traçar objetivos tangíveis.

E dessa forma, conseguirá, de forma realista, projetar o crescimento.

A ideia agora é bem simples. Consiste em não planejar nada que não possa ser cumprido. Qualquer objetivo pode ser traçado, desde que consideradas as limitações do consultório (ou clínica).

Veja exemplos de metas que podem ser estabelecidas:

  • Aumentar a quantidade de pacientes;
  • Subir o faturamento em 30%;
  • Expandir o consultório;
  • Reduzir o número de pacientes inadimplentes.

 

Estratégias específicas:

Nesse processo, você deverá formular as estratégias para alcançar seus objetivos. Listando seus objetivos traçados, agora é preciso determinar como alcançá-los.  

Por isso, é muito importante que você elabore objetivos realistas que são notoriamente alcançados.

 

Elabore indicadores de desempenho:

Nada pode ser gerenciado se não for medido, por isso você precisa determinar os indicadores de desempenho para cada meta.

Por exemplo, se um dos objetivos é aumentar o faturamento em 30%, você precisa monitorar se as estratégias traçadas para alcançar o objetivo está trazendo resultado.

 

Orçamentos detalhados:

Todo planejamento deve tratar das finanças com cautela. Gestores odontológicos que realmente têm o controle do fluxo de caixa sabem estipular o que dá lucro e o que representa prejuízo.  

Com essas informações e a sua experiência, pode ser dado um passo adiante em relação aos gastos.  

Nesse aspecto, as expectativas de crescimento determinarão metas de expansão. Caso contrário, o foco deverá ser tirar a empresa do vermelho.

Quer otimizar o financeiro da sua clínica ou consultório? Então, clique aqui, e aprenda 3 dicas para melhorar a gestão financeira.

Enfim…

O planejamento odontológico será como um guia para direcionar os passo do consultório (ou clínica) rumo às metas estipuladas. Como vimos neste conteúdo, ele se destina a preparar o consultório (ou clínica) para todos os cenários.

Agora é o momento certo para fazer com que seu planejamento saia do seu esboço. Então, dedique seu tempo para fazer um planejamento robusto e específico.

Gostou desse conteúdo? Se sim, não deixe de compartilhar com sua equipe.

Agradecemos a leitura!