Os riscos de trabalho para profissionais da odontologia

Não é de hoje que sabemos que profissionais da saúde correm diversos riscos no dia a dia. Afinal, esses profissionais estão em constante contato com diversas doenças, e até mesmo, muitas vezes sem saber.

Tudo isso sem contar com os riscos ocupacionais, de saúde mental e ergonômicos que esses profissionais enfrentam no exercício de suas profissões. Mas quais os riscos de trabalho para profissionais da odontologia? 

Separamos aqui os 8 principais riscos que você, dentista, pode correr sendo profissional da odontologia. Então, se você quer saber um pouco mais sobre esse assunto, continue lendo esse post  

Quais são os riscos ocupacionais?

riscos-de-trabalho-para-profissionais-da-odontologia

O manual de “Serviços Odontológicos: Prevenção e Controle de Riscos” da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) classifica os riscos ocupacionais:

“[…] a possibilidade de perda ou dano e a probabilidade de que tal perda ou dano ocorra. Implica, pois, a probabilidade de ocorrência de um evento adverso. Os riscos mais frequentes a que estão sujeitos os profissionais que atuam em assistência odontológica são os físicos, os químicos, os ergonômicos, os mecânicos ou de acidente, os advindos da falta de conforto e higiene e os biológicos.”

Veremos cada um dos riscos listados acima abaixo.

Risco físico

Segundo o manual, o risco físico surge da exposição dos profissionais a agentes físicos, tais como ruído, vibração, radiação ionizante e não-ionizante, temperaturas extremas, iluminação deficiente ou excessiva, umidade e outros.

São causadores desses riscos na odontologia: caneta de alta rotação, compressor de ar, equipamento de Raio-X, equipamento de laser, fotopolimerizador, autoclave, condicionador de ar, etc.

Algumas ações para diminuir o risco indicadas pela Anvisa são:

  • a) Utilizar protetores auriculares durante os procedimentos. 
  • b) Usar óculos de proteção nos procedimentos que utilizam luz halógena e laser. 
  • c) Utilizar equipamentos de proteção radiológica no caso do raio-x. O cuidado também se estende aos pacientes. 
  • d) Deixar o local de trabalho bem iluminado. 
  • e) Usar caixa acústica no compressor de ar para evitar ruídos muito altos. 
  • f) Ser cauteloso ao utilizar instrumentais com alta temperatura. 
  • g) Deixar a clínica arejada, prezando pelo bem-estar de todos.

Risco químico

O risco químico é definido como a “exposição dos profissionais a agentes químicos (poeiras, névoas, vapores, gases, mercúrio, produtos químicos em geral e outros).”

Na odontologia, os principais causadores desse tipo de risco são: amalgamadores, desinfetantes químicos (álcool, glutaraldeído, hipoclorito de sódio, ácido peracético, clorexidina, entre outros) e os gases medicinais (óxido nitroso e outros). 

As ações mais recomendadas para evitar esse risco são:

  • a) Limpar o ambiente para evitar poeira (de preferência com panos molhados)
  • b) Utilizar Equipamentos de Proteção Individual 
  • c) Usar EPI completo nos atendimentos ao paciente e ter disponível óculos de proteção ao mesmo para evitar acidentes com produtos químicos. 
  • d) Utilizar somente amalgamador de cápsulas. 
  • e) Acondicionar os resíduos de amálgama em recipientes inquebráveis, de paredes rígidas, contendo água suficiente para cobri-los, e encaminhá-los para coleta especial de resíduos contaminados. 
  • f) Armazenar os produtos químicos de maneira correta e segura, conforme instruções do fabricante, para evitar acidentes. 
  • g) Fazer manutenção preventiva das válvulas dos recipientes contendo gases medicinais.

Risco ergonômico

Já em relação ao risco ergonômico, estes são causados por “postura incorreta, ausência do profissional auxiliar e/ou técnico, falta de capacitação do pessoal auxiliar, atenção e responsabilidade constantes, ausência de planejamento, ritmo excessivo, atos repetitivos, entre outros”.

Entre as ações para minimizar o risco ergonômico estão:

  • a) Organizar o ambiente de trabalho. 
  • b) Planejamento do atendimento diário. 
  • c) Trabalho em equipe. 
  • d) Capacitar a equipe da clínica ou consultório frequentemente.
  • e) Incluir atividades físicas diárias na rotina dos colaboradores da clínica (incentivar). 
  • f) Realizar exercícios de alongamento entre os atendimentos, com a orientação de profissional da área. 
  • g) Valorizar momentos de lazer com a equipe

Risco mecânico ou de acidente

riscos-de-trabalho-para-profissionais-da-odontologia

Esse tipo de risco se dá devido à exposição da equipe odontológica a agentes mecânicos ou que favorece acidentes. Entre os mais freqüentes estão: espaço físico subdimensionado; arranjo físico inadequado; instrumental com defeito ou impróprio para o procedimento; perigo de incêndio ou explosão; edificação com defeitos; improvisações na instalação da rede hidráulica e elétrica; ausência de EPI e outros.

Ainda segundo a Anvisa, as formas de evitar esses riscos são:

  • a) Adquirir equipamentos com registro no Ministério da Saúde, preferencialmente modernos, com desenhos respeitando a ergonomia. 
  • b) Instalar os equipamentos em área física adequada, de acordo com a RDC 50/2002 da Anvisa. 
  • c) Utilizar somente materiais, medicamentos e produtos registrados na Anvisa. 
  • d) Manter instrumentais em número suficiente e com qualidade para o atendimento aos pacientes. 
  • e) Instalar extintores de incêndio obedecendo ao preconizado pela NR-23 e capacitar a equipe para sua utilização. 
  • f) Realizar manutenção preventiva e corretiva da estrutura física, incluindo instalações hidráulicas e elétricas. 
  • g) Em clínicas odontológicas com aporte maior de funcionários, implantar o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, de acordo com a NR-9. 

Risco pela falta de conforto ou higiene

Esse risco ocorre, segundo o manual da Anvisa, por ausência de conforto no ambiente de trabalho e riscos sanitários. Entre esses riscos estão: banheiros e sanitários em número insuficiente e sem separação por sexo; falta de produtos de higiene pessoal, ausência de água potável para consumo; não fornecimento de uniformes; ausência de ambientes arejados para lazer e confortáveis para descanso, entre outros.

De acordo com o órgão, para reduzir esse risco, o ideal é proporcionar à equipe condições de higiene, de conforto e de salubridade no ambiente de trabalho, de acordo com a NR-24.”

Risco biológico

O último risco ocupacional apontado pela Anvisa é o biológico, que nada mais é que a probabilidade da ocorrência de um evento adverso em virtude da presença de um agente biológico. 

As exposições ocupacionais a materiais biológicos potencialmente contaminados são um risco sério aos profissionais da área da saúde nas clínicas, consultórios e demais ambientes.

O risco biológico ainda pode ser dividido em risco por transmissão por vias aéreas, por sangue e outros fluidos orgânicos, e pelo contato direto e indireto com o paciente. Para saber como diminuir o risco de cada um desse tipo de contato, consulte o manual clicando aqui.

Mas além desses cinco riscos ocupacionais, podemos falar de mais dois riscos de trabalho para profissionais da odontologia que podem surgir no dia a dia: risco de problemas com saúde mental e riscos legais. Vamos a eles.

Risco de saúde mental

Estresse e esgotamento físico e emocional podem ser sinais de que a sua saúde mental está comprometida. E profissionais da saúde, como dentistas, podem sofrer com esse tipo de sintoma, que pode revelar até mesmo uma doença, como a síndrome de burnout.

Essa síndrome é um distúrbio emocional unicamente relacionado ao contexto profissional. Segundo uma pesquisa realizada pelo International Stress Management (Isma-BR), o Brasil é o segundo país com maior índice de estresse, e 30% dos brasileiros sofrem com a síndrome de burnout.

O burnout deve ser tratado com auxílio de psicólogo e, em alguns casos, remédios para ansiedade e depressão.

Riscos legais

Além de todos os outros riscos de trabalho para profissionais da odontologia que já comentamos aqui, há também o risco legal. Ou seja, o perigo de processos por parte de pacientes que se sintam lesados ou insatisfeitos com o resultado do tratamento.

Quando falamos em processo, há diversos fatores que podem resultar numa batalha judicial. Desde uma comunicação não realizada da forma correta pelo dentista ao paciente, até mesmo um erro ou imprevisto durante o tratamento ou uma cirurgia.

Hoje em dia, os pacientes, além de irem mais vezes ao ano ao dentista, estão cada vez mais atentos aos seus direitos.

E é por isso que é fundamental saber os riscos e fazer possível para se prevenir. No entanto, imprevistos podem acontecer, e claro, dentistas também estão sujeitos a erros.

Por isso, uma das principais dicas para evitar a dor de cabeça de um processo é ter um seguro de responsabilidade civil profissional. Esse seguro protege o profissional das reclamações e prejuízos que ele pode causar a um terceiro durante a prestação de serviço, não intencionalmente.

O seguro também oferece coberturas que garantem que o dentista não fique desamparado financeiramente, cobrindo os gastos com o processo que possa eventualmente surgir.

E por isso, nós do Dental Office e a Reallizi nos juntamos para oferecer condições especiais para você contratar já o seu seguro!

A Reallizi é uma corretora de seguros especializada em seguros de responsabilidade civil para médicos e dentistas. Eles possuem consultoria gratuita, análises personalizadas e cuidam de cada detalhe para você trabalhar tranquilo!

Então não perca tempo! Acesse o site clicando aqui e trabalhe com mais segurança!

Esperamos que esse conteúdo tenha te ajudado a entender um pouco mais quais os riscos de trabalho para profissionais da odontologia.

Agradecemos a sua leitura e até a próxima!