Por que seu paciente não fecha o planejamento odontológico?

Você como profissional já deve ter encontrado, em sua clínica, a situação de um paciente não querer completar o tratamento recomendado, minuciosamente pensado pelo dentista para o próprio bem-estar dessa pessoa.

Em um mundo ideal, o paciente aceitaria todas as iniciativas que o dentista se propõe a fazer. Afinal, o profissional trabalha para promover a saúde bucal. Contudo, o que se encontra, no mundo real, são pessoas relutantes em aceitar ou completar um tratamento que foi planejado com cuidado e zelo.

Por que isso acontece? É válido afirmar que várias razões contribuem para que isso seja uma situação recorrente em clínicas odontológicas, desde motivos financeiros do paciente ou, até mesmo, questões de adaptação com o profissional, métodos e a clínica.

Preparamos esse artigo com o objetivo de entender essa situação para minimizá-la em seu consultório odontológico. Iremos abordar os motivos que podem levar um paciente a não querer dar continuidade a um planejamento e como se comunicar com ele para que essa pessoa seja convencida a seguir o tratamento até o fim.

Boa leitura!

Motivos que podem fazer o paciente não finalizar o tratamento odontológico
Por que o paciente não quer fechar o planejamento odontológico?
Como realizar um planejamento bem-sucedido?
Como precificar os procedimentos?
Tratamentos longos e com custo alto: Como fechar?

Motivos que podem fazer o paciente não finalizar o tratamento odontológico

Motivos que podem fazer o paciente não finalizar o tratamento odontológico

Inúmeras são as razões para o cliente não querer realizar o fechamento de um acordo com o dentista para iniciar o tratamento. Muitas vezes, o paciente não entende a complexidade de procedimentos odontológicos e seus processos e como cada um deles é essencial para que o cliente tenha o resultado desejado. Não há atalhos nos tratamentos.

Por isso, é essencial saber como se comunicar com o seu paciente para que ele entenda a necessidade de se submeter a esse ou aquele procedimento e realmente assumir o compromisso de fazer com que o tratamento tenha sucesso.

É correto pensar que a questão financeira interfere muito nessa situação. Porém, a solução para a questão financeira não é cobrar menos ou oferecer serviços como cortesia, a exemplo de limpezas e restaurações, pois, além de prejudicar a gestão financeira do consultório odontológico (pois os serviços gratuitos ou com desconto têm um custo alto), essas gentilezas não serão suficientes. 

Saiba mais sobre como cuidar da gestão financeira da clínica odontológica

Entre outros entraves por parte do paciente, podemos citar:

  • A duração de um tratamento;
  • Medo dos procedimentos ou de assumir um compromisso que dura semanas ou, até mesmo, meses;
  • Falta de disciplina do paciente, e, impaciência para ver resultados. 

Sendo assim, é preciso que o profissional explique detalhadamente os procedimentos que são necessários além do custo e a duração de cada um deles ao paciente.

Através desses cuidados e diálogo inicial, o dentista consegue construir uma relação de confiança com seu paciente, humanizando o tratamento e aumentando as chances de fidelização desse cliente. 

Saiba mais sobre a odontologia humanizada

Além disso, cabe ao dentista explicar que o tempo do organismo é diferente do tempo do relógio. Procedimentos que duram meses são normais e necessários. Vale mencionar também que a falta de disciplina do paciente em seguir as recomendações do dentista interfere no resultado final de um procedimento.

Esses são os principais fatores que influenciam no fato de o paciente fechar ou não um planejamento odontológico. 

Por que o paciente não quer fechar o planejamento odontológico?

É mais comum do que se pensa a situação de querer fazer algum procedimento, solicitar um orçamento, mas desistir depois de ver o custo total e o tempo que será preciso para concluir todo o processo. 

Frases como “o custo é muito alto”, “todo esse tempo é mesmo necessário?”, “por que fazer isso?” são comumente ditas por pessoas antes de iniciar um tratamento.

Para responder essas perguntas, use ferramentas visuais para fazer o cliente entender o que precisa ser feito e o custo de cada intervenção odontológica.

Caso o profissional tenha realizado um mockup ou tenha algum exame do paciente, mostre como está a saúde bucal e o que se pode fazer para solucionar um problema que está causando dor ou incômodo neste cliente.

Ainda, é de suma importância explicar as razões pelas quais o paciente deve fazer o tratamento para melhorar a sua saúde bucal. 

No momento da negociação, o paciente irá fazer perguntas e você deve saber como esclarecer essas dúvidas. Se a questão do preço for levantada (isso, por certo, vai acontecer), o seu dever como profissional é mostrar o custo benefício do procedimento, bem como reforçar a importância da saúde bucal.

Vale destacar que uma boa comunicação aqui, se faz essencial! 

Como fazer um planejamento bem-sucedido?

Como realizar um planejamento bem-sucedido?

No momento de fazer um planejamento, o dentista deve prestar atenção em dois aspectos:

  • Qual é o perfil do cliente?
  • O que ele precisa?

Sabendo dessas duas coisas, o planejamento será elaborado com muito mais facilidade e as chances de ele ser aceito pela parte interessada será bem maior.

Para exemplificar, se o cliente quer um tratamento para apenas ajustar a mordida, não prometa outros resultados além desse, como resultados estéticos.

No final do tratamento, o cliente terá o que contratou. Caso perceba que o paciente precisa de mais algum serviço, aponte o problema que identificou e deixe ele decidir se quer tratar isso ou não. 

Se você oferecer procedimentos que vão além do que ele solicitou inicialmente, tudo o que está no orçamento será visto como caro.

Então, escute e entenda o pedido do cliente. Anote as solicitações no seu prontuário e elabore um plano para executar o que ele precisa. 

É interessante que o profissional também se pergunte se a clínica está apta para ajudar esse paciente. Em caso positivo, siga em frente e faça a oferta final.

Para resumir:

  • Entenda o seu cliente e o serviço que ele quer;
  • Verifique se pode ajudar essa pessoa;
  • Ofereça a solução;
  • Certifique-se que o paciente entendeu e aceitou.

No caso de o paciente não ser receptivo, mude o que pode ser alterado no planejamento junto com ele e procure soluções para os questionamentos que podem surgir.

Como precificar os procedimentos?

Toda empresa precisa precificar os seus produtos. No caso de clínicas odontológicas, a precificação é especialmente importante pois garante a saúde financeira do consultório e como o estabelecimento é visto pelo público.

O mais importante da precificação é que ela seja justa para o profissional e para o paciente. Não tente cobrar valores muito baixos para atrair clientela, pois isso compromete as necessidades financeiras da clínica.

Diante disso, para que uma precificação seja bem-sucedida, releve os seguintes aspectos:

  • Quanto custa mensalmente manter o consultório: monitore seus custos operacionais, como insumos, contas essenciais e despesas com funcionários, entre outros;
  • Precifique cada procedimento em seu consultório separadamente: defina o preço de cada tratamento odontológico disponível em seu consultório, pois o cliente precisa saber o custo para cada detalhe em sua jornada na clínica. 
  • Saiba reconhecer o seu público-alvo: estabeleça um perfil de clientes para que você saiba atrair pessoas que estão dispostas a aceitar a precificação dos seus serviços. Preste atenção na localização da sua clínica e na sua clientela.
  • Defina sua margem de lucro: para poder crescer e se expandir, sua clínica precisa dar lucro, portanto é preciso estabelecer quanto o dentista almeja lucrar em cada procedimento.

Tratamentos longos e com custo alto: Como fechar?

Tratamentos longos e com custo alto: Como fechar?

Realmente, se o procedimento for de alto custo e longo prazo, o cliente pode ficar relutante em fechar o acordo. Pode acontecer, até mesmo depois que o tratamento seja iniciado, uma interrupção por desejo do cliente. Como evitar que isso aconteça?

As palavras de ordem em orçamentos de alto custo são organização e detalhamento. O paciente precisa saber todos os passos do tratamento e entender qual é o custo de cada um deles. Além disso, pergunte ao cliente “o que precisa acontecer neste tratamento para que você saia satisfeito?”

Através dessa pergunta, o dentista consegue construir uma relação de confiança e comprometimento com o paciente. Ademais, se o paciente tiver alguma expectativa irreal, o profissional pode explicar as razões pelas quais isso não pode ser alcançado.

É importante que o dentista explique que, na odontologia, não se pode “pular” procedimentos e que há uma sequência no tratamento que precisa ser respeitada.

Caso o paciente tenha começado o tratamento e deseja interromper, mostre o valor que ele já investiu nesse procedimento, o quanto falta para ele ter o resultado esperado e o que já foi melhorado. Dificilmente o cliente ignorará o montante investido e irá optar por prosseguir com o tratamento.

Seguindo essas recomendações, será possível aumentar as conversões em seu consultório odontológico e, consequentemente, incentivar o paciente a fechar orçamentos altos e seguir o tratamento até o final. 

Saiba mais sobre como fechar mais planos odontológicos.

Conclusão

Fechar um bom número de tratamentos odontológicos é essencial para ter bons resultados financeiros na sua clínica ou consultório de odontologia. 

Contar com um sistema com as funcionalidades certas, como o Dental Office, é um passo importante que deve ser seguido pelo dentista. Afinal, existem muitos processos burocráticos na rotina do seu negócio, que pode tomar tempo demais da sua equipe. 

Quer saber mais sobre como caminhar para o caminho do sucesso? Então confira o eBook: