Como fica a gestão odontológica com o coronavírus?

Tempo de leitura: 4 min

O novo coronavírus criou desafios muito sérios tanto para a saúde quanto para a economia no mundo todo. Você já deve ter percebido que a sua clínica odontológica não ficará imune. Todo o seu plano de negócio vai sofrer os efeitos. 

Essa é a hora de ter uma gestão odontológica eficiente em meio à crise. Por isso, confira nossas informações.

Como ficam as clínicas odontológicas?

A principal forma de conter a expansão do vírus e da doença conhecida como COVID-19 continua sendo o isolamento social. Por isso, muitos estabelecimentos estão de portas fechadas durante este período – e a recomendação de certa forma se estende para os consultórios odontológicos.

Na odontologia privada, as decisões para a atuação das clínicas depende de normativas municipais, estaduais e federais – portanto, a definição de manter sua clínica fechada ou aberta partirá dessas legislações. 

Neste sentido, os Conselhos de odontologia recomendam que os dentistas e gestores estejam cientes e obedeçam os decretos determinados para a gestão odontológica.

Além disso, há orientações para gestão de dentistas que vêm dos próprios conselhos. Os Conselhos Regionais de Odontologia (CROs) possuem recomendações que seguem um teor predominante de cautela. 

Recomenda-se que os tratamentos e atendimentos eletivos sejam suspensos, para evitar contaminações desnecessárias. No caso, ficariam preconizados os tratamentos de urgência e emergência.

Vale lembrar que essa não é uma obrigação, e sim uma orientação. A decisão do dar o atendimento odontológico ou não é de livre arbítrio do Cirurgião-Dentista, contanto que siga a legislação regional e as normas éticas da profissão.

Além disso, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) publicou nota em que recomenda “cautela e cuidado nas atividades desempenhadas pelos profissionais de saúde bucal que atuam em todo o território nacional”.

O que é urgência e emergência na gestão odontológica?

Como fica a gestão odontológica com o coronavírus? | Dental Office

Como a recomendação é de fazer preferencialmente atendimentos de urgência e emergência na sua clínica odontológica, é preciso entender quais são esses procedimentos.

A tabela abaixo diferencia quais são os atendimentos de urgência e emergência, e quais são eletivos, de acordo com a American Dental Association (ADA), em publicação de 2020. Vale lembrar que essa é a classificação apresentada também pelo CFO.

Urgência / emergência

● Pulpite irreversível;
● Pericoronite;
● Osteite pós-operatória cirúrgica ou troca de
curativos de cavidade seca;
● Abscesso ou infecção bacteriana localizada,
resultando em dor e inchaço localizados;
● Fratura de dente resultando em dor ou
causando trauma nos tecidos moles.
● Trauma dentário com avulsão / luxação.
● Confecção de restauração temporária caso
a restauração for perdida, quebrada ou
esteja causando irritação gengival.
● Cárie extensa ou restaurações defeituosas
que causam dor;
● Remoção de suturas;
● Ajustes da dentadura em pacientes com
radiação / oncologia;
● Ajustes ou reparos da dentadura quando a
função é impedida;
● Substituir o preenchimento temporário nas
aberturas de acesso endodôntico em
pacientes com dor;
● Corte ou ajustes de um fio ou aparelhos
ortodônticos que perfuram ou ulceram a
mucosa bucal.

Eletivo

● Exames odontológico inicial ou de
manutenção;
● Radiografias de rotina;
● Profilaxias dentárias;
● Terapia periodontal rotina;
● Procedimentos ortodônticos diferentes
daqueles para tratar de problemas agudos
(por exemplo, dor, infecção, trauma);
● Extração de dentes assintomáticos;
● Dentística restauradora, incluindo
tratamento de lesões cariosas
assintomáticas;
● Procedimentos odontológicos estéticos

Como realizar atendimentos durante a crise de COVID-19?

O Conselho Federal de Odontologia (CFO), junto com a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB) também divulgou uma cartilha de recomendações para os atendimentos, orientando os processos de segurança a serem tomados.

A cartilha pode ser acessada neste link: Recomendações AMIB/CFO para enfrentamento da COVID-19 na Odontologia.

Em resumo, o documento apresenta informações sobre triagem de paciente com suspeita ou contaminados com a COVID-19, recomendações sobre conduta para tratamento odontológico hospitalar, para uso de equipamentos de proteção individual, entre outras indicações. 

Essas orientações são essenciais e devem ser seguidas em qualquer situação! A saúde dos dentistas, auxiliares e pacientes precisa ser prioridade neste momento.

Desafios do coronavírus para a gestão de dentistas

Como fica a gestão odontológica com o coronavírus? | Dental Office

Tanto este momento quanto as próximas semanas, e talvez até meses, serão de bastante desafios para a sua gestão odontológica. Por isso, é preciso conhecer os desafios do coronavírus para o seu trabalho e evitar os erros da gestão odontológica.

O primeiro, como vimos, é que todos os seus atendimentos deverão ser adaptados a essa nova realidade, com ainda mais equipamentos e técnicas adequados para proteger todos os envolvidos.

É preciso considerar também que sua clínica certamente terá menos movimento e, consequentemente, menos faturamento. Enquanto isso, algumas de suas despesas continuarão iguais.

Por isso, é preciso fazer um controle financeiro adequado, economizar onde possível e tentar fazer seus rendimentos durarem por mais tempo.

Para fazer isso com eficiência, você pode contar com os relatórios e métricas do seu software de gestão odontológica, que permitem saber para onde vão seus gastos e controlar quais são seus recebimentos.

Pode ser também um bom momento para lidar com clientes inadimplentes e buscar fazer as cobranças.

Há, no entanto, ainda outro desafio do coronavírus a ser levado em conta por sua gestão odontológica. A distância de seu consultório com os pacientes põe em risco todo o trabalho de fidelização que você veio fazendo com eles. 

Por isso, este é o melhor momento para entrar em contato com eles através das redes sociais! Busque acompanhar os tratamentos diretamente com os pacientes, entre em contato com eles durante este período, esteja disponível para tirar dúvidas e mostre que sua clínica odontológica realmente se importa. 

É possível também investir em marketing digital, produzindo conteúdos para que seus pacientes se informem sobre tratamentos e continuem tendo uma relação com sua clínica.

Para saber mais sobre marketing para clínicas odontológicas, você pode conferir nosso eBook gratuito sobre o assunto. Aproveite o tempo para se aperfeiçoar cada vez mais na gestão da sua clínica: conte com o blog e com os eBook gratuitos do Dental Office!

Porque o WhatsApp ser uma poderosa ferramenta para o seu consultório?
Enviando...