Carnê leão para dentistas: especialista explica como usar

Com Fernando Fialho e Ellen Alves

Muitos dentistas possuem dúvidas a respeito do Imposto de Renda, e isso pode atrapalhar e muito na gestão financeira da sua clínica odontológica

Um dos momentos desse evento foi centrado na importância do dentista em manter o carnê leão em dia. Porém, muitos desconhecem essa ferramenta e, por isso, a palestra foi de extremo aproveitamento aos profissionais da saúde.

Essa conversa trouxe o Dr. Fernando Fialho Versignassi, Diretor na Helpdoc Consultoria, como convidado, e Ellen Alves, Analista de Inovação na RH Software, como mediadora.

Carnê leão: o que é?
Profissionalização do Dentista
Quais as consequências de não pagar o carnê leão?

Carnê leão: o que é?

Carnê leão: o que é?

O primeiro momento da fala do Dr. Fernando foi justamente para definir o que é o carnê leão, uma vez que muitos dentistas não conhecem esse termo.

O carnê leão é a forma que o profissional liberal, ou seja, o dentista que exerce a profissão como pessoa física, tem como obrigação recolher Imposto de Renda todo mês.

Sendo assim, o carnê leão é o recolhimento de impostos antecipado, sendo obrigatório para ficar em dia com a Receita Federal.

O Dr. Fernando explicou que há uma página chamada Portal e-CAC, a qual pode ser usada para que o dentista organize os pagamentos dos pacientes e as despesas dedutíveis do consultório.

Por despesas dedutíveis, entende-se todos os pagamentos essenciais que precisam ser realizados para que o consultório seja operacional, como água, aluguel, taxas municipais, internet e outras.

A plataforma Portal e-CAC é simples e o profissional autônomo consegue lidar com o preenchimento sozinho, sem a necessidade de um escritório contábil, aponta o Dr. Fernando.

A obrigatoriedade para a contratação de um contador é no caso da clínica possuir funcionários, seja o seu modelo de negócio para pessoa física ou jurídica.  

Uma pergunta que surgiu durante a conversa foi se é mais vantajoso ao dentista atuar como pessoa física ou jurídica

Para esse questionamento, o Dr. Fernando explicou que é preciso simular quais seriam as alíquotas para a cobrança das tributações.

Há, na página do Ministério da Economia, um simulador para que o dentista escolha o modelo de tributação que melhor se encaixe em suas necessidades.

Para exemplificar, o especialista mostrou que quanto maior for o faturamento do dentista, menos vantajoso o regime de tributação para pessoas físicas se torna.

Mais uma vez, ressalta-se a importância de escolher um modelo de acordo com o seu momento profissional e modelo de negócio.

Profissionalização do Dentista

Profissionalização do Dentista

O Dr. Fernando segue a sua fala dando ênfase para a necessidade do profissional se regularizar para “se manter no jogo”.

Para isso, fazer um planejamento financeiro adequado é essencial, o que inclui estar em dia com a Receita Federal.

O especialista já adianta que se o dentista desejar se expandir cada vez mais na área da odontologia, a necessidade de o profissional atuar como pessoa jurídica aparecerá cedo ou tarde.

Isso vale até para os recém-formados. Inclusive, o Dr. Fernando coloca que muitas clínicas contratam esses “novatos” com a condição de esses novos dentistas estarem no regime de pessoa jurídica.

Quais as consequências de não pagar o carnê leão?

O convidado destaca que o não pagamento dos impostos pode acarretar em pagamento de multa, a qual pode alcançar 50% do valor que o dentista deve à Receita Federal.

Para quem quiser se regularizar perante o Ministério da Economia, é possível fazer lançamentos retroativos no Portal e-CAC. Porém, nesse caso, há a incidência de juros e multas no imposto a ser pago.

O Dr. Fernando ainda apontou a necessidade de recibos para o acerto de contas do consultório. Isso deve acontecer em três vias, uma para uso interno, outra para o paciente e uma última para uso do contador.

Por fim, no caso de atendimento de pacientes infantis, o recolhimento do CPF para o carnê leão também é uma necessidade, tanto da criança quanto dos pais e responsáveis.

As contribuições do Dr. Fernando foram muito importantes para manter o consultório em dia com a Receita Federal.

Esse assunto é complexo e cheio de detalhes, mas não deixa de ser obrigatório e um dever como cidadãos. É essencial que o dentista tenha cuidado e atenção com o carnê leão.

O Imposto de Renda é uma parte extremamente importante da gestão financeira. Mas existem outras questões que devem ser levadas em conta pelo dentista! Saiba mais no eBook:

Scanner intraoral aumenta a produtividade no consultório