Como organizar o imposto de renda para dentista?

O Imposto de Renda para dentistas nada mais é do que a declaração anual dos rendimentos e despesas de um determinado contribuinte.

Você é um dentista autônomo e está preocupado com a declaração do imposto de renda?

É bom se apressar, pois o prazo para realizar o IRPF (Imposto de Renda Pessoa Física) 2019 teve início no dia 07 de março e termina em, já agora, 30 de abril.

E agora? Você está atrasado?

Calma. Ainda dá tempo de se organizar para declarar o IRPF 2019.

Lembre-se que para realizar a declaração é necessário muita organização das informações contábeis da sua clínica ou consultório odontológico. Essas informações são relativas às receitas e despesas do ano de 2018.

Além disso, como seu local de trabalho se trata de um consultório (ou clínica) odontológico, você tem exigências específicas do Fisco. Atentando-se ainda mais para não cair na malha fina.

Contabilidade online

O tempo é o grande inimigo para quem tem que declarar o imposto de renda. Não é mesmo?

Por este motivo surgiu a contabilidade online que utiliza a tecnologia para otimização de tempo, organização e produtividade.

O contador continua sendo indispensável, mas agora esse relacionamento acontece de forma diferente. Você insere e gerencia as informações no seu software Dental Office e por meio do módulo contábil consegue enviar todas as informações 100% atualizada sem erros humanos.

Além disso, pela contabilidade online você consegue economizar muito mais dinheiro. Comparado com os valores dos contadores tradicionais.

Veja só, com a mensalidade do plano escolhido do software Dental Office mais o módulo contábil você economiza e muito.

Saiba mais aqui.  

Básico do Imposto de Renda

O IRPF deve conter todas os dados financeiros sobre lucros, despesas e receitas do ano anterior. Com essas informações será possível saber a quantidade necessária dos impostos a serem pagos.

Por meio desse cálculo também é possível saber se haverá a devolução dos impostos retidos, isso é chamado de restituição.

Outra informação importante que você precisa saber é que todo imposto sobre a renda possui alíquotas (percentual que será aplicado no cálculo do valor de um tributo) que varia de 7,5% a 27,5%.

Ainda está em dúvida? Calma, a Receita Federal disponibiliza um sistema que é possível calcular com antecedência o valor do imposto a ser pago. Para isso, é só clicar nesse link.

Quem precisa declarar o IRPF 2019?

Se você tem renda anual superior a R$28.559,70 no ano de 2018 será obrigatório realizar a declaração do Imposto de Renda.

Necessário declarar também aqueles que tiveram indenização, rendimento de poupança (ou outros rendimentos acima de R$ 40.000,00), ganho de capital em venda de imóveis ou carro, ou forem donos de bens acima de R$300.000,00.

Principais informações para inserir no IRPF 2019

Há uma série de informações que deverão ser preenchidas para declaração do IRPF 2019.

Se você, dentista, tem uma clínica ou consultório em seu nome, algumas dessas informações ficarão diferentes de quem apenas trabalha como dentista.

Essas informações são separadas por fichas, a partir dessas informações que deixaremos abaixo você já pode começar a se organizar:

    • os dependentes: uma lista das pessoas que são dependentes financeiramente de você, filhos e família enquadram-se nesse quadro;
    • rendimento tributáveis recebidos de pessoa jurídica: são os salários dos funcionários da clínica ou consultório em nome de pessoa jurídica;
    • rendimentos tributáveis recebidos de pessoa física: são gastos como aluguéis e rendimentos de pessoas físicas. É muito importante registrar o CPF de cada um, pois o paciente que foi atendido pode declarar a consulta como despesa médica;
    • rendimentos isentos: são todas as participações ou distribuições de lucros do consultório (ou clínica) odontológica;
    • bens e direitos: aqui precisará ser informado os imóveis, aplicações, ações, veículo e cotas do consultório (ou clínica) em que você é sócio.

Livro Caixa

Os dentistas autônomos que atendem como pessoa física podem usar Livro Caixa como base.

O ideal é fazer o acompanhamento mensal das receitas e das despesas, a fim de saber se o valor da diferença foi maior que o valor da isenção.

Nessa situação, deve-se ser recolhido o imposto referente ao mês em que o valor ultrapassou a isenção. Isso é chamado de Carnê Leão.

Se essa for sua opção, você pode fazer o controle anual, a diferença do imposto será paga com multa e juros.

Nunca sonegue, o risco é grande!

Além da multa por atraso na entrega da declaração (1% sobre o total do imposto devido ou o valor mínimo de R$ 165,74), a Receita Federal ainda pode considerar o contribuinte sonegador de impostos, resultando em pagamentos que podem chegar a 50% sobre o imposto devido.

É muito importante realizar a declaração e colocar todas as informações necessárias, inclusive com os valores que podem ser dedutíveis, assim, serão pagos menos impostos.

Segundo o Dr° Fernando Fialho, MBA em gestão estratégica, especialista em gestão da saúde e diretor da Helbdoc Consultoria: “o risco de cair na malha fina da Receita Federal do Brasil (RFB), uma vez que você dentista não terá controle de todos os recebimentos (com o CPF do responsável pelo pagamento / CPF do beneficiário).

Logo terá paciente informando que efetuou pagamentos na sua declaração de ajuste anual e você odontólogo não terá recolhido o imposto de renda com base no Carnê-Leão, bem como não vai preencher corretamente a sua declaração de ajuste anual do imposto de renda”

Dedução

Existem vários itens que podem ser deduzidos e o programa Carnê-Leão tem a relação de todos eles. Alguns dos itens dedutíveis são:

  • Funcionários registrados (secretária ou auxiliar do consultório ou clínica);
  • Todos os encargos relativos à contratação da equipe;
  • Tudo que for utilizado para a manutenção do consultório ou clínica (como água, luz, aluguel, condomínio, telefone, entre os diversos materiais);
  • Pagamento do Conselho de Classe CRO) e Sindicatos;
  • Contabilidade e despesas com propaganda.

Lembre-se que os móveis e os equipamentos odontológicos não podem ser deduzidos. O mesmo vale para alimentação e combustível.

Por fim…

Organizar o imposto de renda especificamente para dentistas é uma tarefa que necessita de uma auxiliadora contábil, seja um contador tradicional, terceirizada ou contabilidade online.

E como já dissemos, aqui no Blog Dental Office, a contabilidade online é melhor forma de agilizar todas essa informações de forma prática.

Por fim, você aprendeu neste artigo algumas dicas para se organizar para o IRPF 2019.

Gostou desse conteúdo? Então, não deixe de compartilhar com sua equipe.

Agradecemos a leitura!