Câncer de boca e o papel do dentista na prevenção

A Semana Nacional de Prevenção ao Câncer Bucal foi instituída em 2015 pela Lei nº 13.230/2015 como forma de reforçar a importância do diagnóstico precoce do câncer de boca, também conhecido como câncer de lábio e de cavidade oral.

Sempre celebrada na primeira semana de novembro, o objetivo da data é estimular ações preventivas e campanhas educativas relacionadas ao câncer de boca e promover debates e outros eventos sobre as políticas públicas de atenção integral aos portadores desse tipo de câncer.

A data também visa apoiar as atividades organizadas e desenvolvidas pela sociedade civil em prol do controle da doença e difundir os avanços técnico-científicos.

Mas qual é o papel do dentista na prevenção do câncer de boca? Como o dentista pode ajudar no diagnóstico precoce da doença? Leia o artigo e entenda como o dentista tem papel fundamental na identificação e tratamento dessa doença.

Contudo, antes de tratarmos da prevenção e de papel do dentista nesse aspecto, precisamos ter uma visão geral do assunto.

Por esse motivo trataremos sobre o que é o câncer de boca, quais os seus sintomas e fatores de risco, bem como as estatísticas sobre a doença.

O que as estatísticas dizem sobre o câncer de boca

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se que em 2020 surjam 15.190 casos de câncer de boca, sendo 11.180 homens e 4.010 mulheres.

Em 2018, 6.455 morreram em decorrência da doença, sendo 4.974 homens e 1.481 mulheres, segundo dados do Atlas da Mortalidade por Câncer.

Esse tipo de câncer é mais comum em homens acima dos 40 anos, e é o quarto tipo mais frequente em pessoas do sexo masculino na região sudeste. Por ser um câncer silencioso, normalmente é diagnosticado já em sua fase mais avançada.

Sintomas e sinais

Mesmo sendo um câncer de difícil diagnóstico nas fases iniciais, alguns sintomas e sinais na cavidade bucal podem ajudar na identificação da doença. Segundo o Ministério da Saúde, entre esses sinais estão:

  • Lesões (feridas) na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias, que podem apresentar sangramentos e estejam crescendo;
  • Manchas e/ou placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas;
  • nódulos (caroços) no pescoço;
  •  rouquidão persistente.

Já no estado mais avançado do câncer, outros sintomas também podem aparecer como:

  • Dificuldade de mastigar e de engolir;
  • Dificuldade na fala;
  • Sensação de que há algo preso na garganta;
  • Dificuldade para movimentar a língua.

O que pode aumentar o risco do câncer de boca?

câncer bucal e o papel do dentista

Alguns hábitos podem aumentar o risco de desenvolver o câncer de boca. Entre esses hábitos estão fumar, ingerir bebidas alcoólicas com frequência e o excesso de gordura corporal. 

A exposição ao sol sem proteção também é um risco para o câncer de lábios, bem como a exposição a certos agentes. Entre esses estão o óleo de corte, amianto, poeira de madeira, poeira de couro, poeira de cimento, de cereais, têxtil e couro, amianto, formaldeído, sílica, fuligem de carvão, solventes orgânicos e agrotóxico.

Por esse motivo, trabalhadores que realizam a manipulação desses agentes, podem apresentar risco aumentado de desenvolver a doença.

Prevenção do câncer de boca

A prevenção ao câncer de boca deve ser feita rotineiramente. Segundo o Conselho Federal de Odontologia (CFO), quando a doença é descoberta no estágio inicial, a chance de recuperação do paciente é de 95%. Em estágios mais avançados, a chance de recuperação cai para 45%

Por isso, o dentista tem papel fundamental na prevenção desse tipo de câncer. Em contato direto com a cavidade oral do paciente, o dentista pode ajudar no diagnóstico precoce.

Contudo, vale ressaltar que o câncer bucal é diagnosticado pelo cirurgião de cabeça e pescoço. Nesse caso, se o dentista perceber algum sinal suspeito, este deve encaminhar o paciente para o cirurgião responsável.

Por esse motivo, o CFO recomenda que pacientes realizem consultas a cada seis meses com o dentista .

Por fim,

Com esse artigo conseguimos compreender um pouco mais sobre a importância da realização do diagnóstico precoce do câncer bucal. Também exploramos qual é o papel do dentista nesse aspecto. 

Reforce com os seus pacientes a importância adoção de hábitos saudáveis e visitas regulares ao seu consultório. Para isso, é importante sempre oferecer um atendimento humanizado, garantindo a saúde e bem-estar do seu paciente.

Lembre-se que o dentista tem papel fundamental na prevenção e no diagnóstico precoce. Afinal, a prevenção ao câncer bucal começa na sua cadeira.

Agradecemos a leitura e até a próxima!