Como implantar o telemonitoramento em sua clínica odontológica?

Tempo de leitura: 3 min

Durante a pandemia do coronavírus, o Conselho Federal de Odontologia aprovou a resolução CFO-226, para regulamentar o exercício de odontologia à distância.

A resolução teve como principal objetivo ajudar clínicas odontológicas a cuidarem de seus pacientes durante períodos de quarentena e de isolamento social. Mas não se limitou a isso. 

Ela também busca permitir que dentistas possam atender pacientes aonde quer que eles estejam, mantendo a autonomia do paciente a escolher o seu próprio cirurgião-dentista.

Assim, se tornou possível aos dentistas complementarem seu atendimento, aprimorando o tratamento e melhorando o relacionamento com os pacientes – tudo isso através de ferramentas digitais

Essa é uma ótima estratégia para fortalecer sua clínica neste momento, e faz parte das nossas 6 dicas para seu consultório odontológico colocar em prática agora!

No entanto, há limitações para esse atendimento. Antes de saber como ter o telemonitoramento em sua clínica, é preciso entender o que diz a lei:

O que o CFO determina sobre telemonitoramento?

Como implantar o telemonitoramento em sua clínica? | Dental Office

A resolução do CFO regulamentou o atendimento odontológico à distância. No entanto, é preciso seguir certas normas.

Primeiro, o conselho considera que há limitações naturais à prática odontológica não presencial. Afinal, obviamente ainda não há como o dentista avaliar a saúde bucal do paciente sem poder vê-lo de perto.

Por isso, a resolução CFO-226 deixa claro: “Fica expressamente vedado o exercício da Odontologia a distância, mediado por tecnologias, para fins de consulta, diagnóstico, prescrição e elaboração de plano de tratamento odontológico”.  

Ou seja, o atendimento a distância não é o mesmo que consulta online. Ele não pode servir para dar diagnósticos, prescrever medicamentos ou tratamentos, ou para preparar planos de tratamento para o paciente. Tudo isso deve ser feito de forma presencial. 

O que a resolução permite, no sentido de odontologia a distância, é o telemonitoramento. Ela determina esse conceito como um acompanhamento à distância de pacientes que já estejam em tratamento – lembrando que cada atendimento desse formato deve ser registrado em prontuário.

Além disso, durante o período de pandemia, o cirurgião dentista pode realizar teleorientações, que são atendimentos com um questionário pré-clínico, para definir quando é o melhor momento para uma consulta presencial.

Isso deve respeitar a autonomia do paciente em escolher seu cirurgião-dentista, sem ser levado a uma central de atendimento, ou outro tipo de organização que distribua a demanda automaticamente.

Primeiros passos para implementar o telemonitoramento com o Dental Office

Como implantar o telemonitoramento em sua clínica? | Dental Office

Para começar a implementar essa tecnologia odontológica na sua clínica, o ideal é contar com uma ferramenta de telemonitoramento, que integre o prontuário e a agenda odontológica, possibilitando um acompanhamento mais eficiente do atendimento.

Com isso em mente, o Dental Office preparou o seu próprio módulo de telemonitoramento

Assim, o Dental Office se tornou o primeiro software médico a disponibilizar uma ferramenta de telemonitoramento gratuita para todos os seus planos!

Assim, o seu primeiro passo para começar a usar o telemonitoramento é encontrar uma ferramento – com o Dental Office, esse passo é muito mais fácil.

Com a ferramenta integrada ao seu sistema, você pode realizar o agendamento da mesma forma que faria para uma consulta presencial. A única diferença é na hora de marcar na sua agenda Dental Office. Lá, você vai encontrar duas opções, logo abaixo do nome do paciente: “compromisso pessoal” ou “telemonitoramento”.

Se escolher telemonitoramento, esse atendimento ficará registrado de forma distinta, para o dentista estar preparado, e o paciente receberá um SMS com o link de acesso 15 minutos antes do horário marcado.

Já o dentista tem a facilidade de acessar o telemonitoramento direto pelo agendamento do paciente, ou pela página dele no seu sistema. Em ambas opções, haverá um link de “iniciar telemonitoramento”. Depois disso, você já estará em contato com o paciente, em uma videochamada. 

Na tela da ligação, há ainda informações importante, como nome completo, telefone, motivo do atendimento, convênio e contador de tempo, além de um link para enviar direto pelo WhatsApp, caso o paciente não tenha entrado na videochamada pelo SMS.

Há ainda dois campos. Um deles é para anotações que você pode fazer durante o atendimento e que vão direto para o prontuário do paciente, ao final do telemonitoramento.

O outro campo é para o dentista preencher com orientação e informações de texto a serem enviadas para o paciente diretamente por WhatsApp, para que ele possa cumprir melhor suas recomendações.

Quer ver esse tutorial em vídeo? Acesse nosso canal no Youtube e confira: Telemonitoramento #AULA030.

Por que o telemonitoramento é tão importante?

Já discutimos neste blog que a tecnologia mudou o relacionamento entre dentista e paciente. É preciso ser mais digital para se adaptar às novidades e continuar cumprindo a missão de levar saúde bucal e auto-estima para em sua clínica.

Isso envolve a presença digital de dentistas, o contato mais dinâmico com o paciente e também o telemonitoramento.

Segundo o CFO, essa forma de atendimento, inclusive, vai se perpetuar mesmo depois da pandemia, funcionando “com objetivos claros de sempre prestar a melhor assistência ao paciente, independente do momento” (trecho disponível no site do CFO).

Dessa forma, é essencial que sua clínica odontológica acompanhe esse desenvolvimento e saiba como implementar o telemonitoramento no seu trabalho.