Paciente está inadimplente e agora?

Tempo de leitura: 2 min

PACIENTE ESTÁ INADIMPLENTE, E AGORA? (PARTE 1)

Um assunto delicado para muitos, mas necessário para todos. Um vilão financeiro em comum no nosso dia a dia é a ocasional inadimplência de alguns de nossos pacientes, mas e agora? Como prosseguir?

PREVENIR É MELHOR DO QUE REMEDIAR:

Primeiro temos que entender que antes da gente começar essa conversa, precisamos ter certos protocolos bem definidos em nosso consultório:

1 – Cadastros completos

Cadastro de paciente para reduzir a inadimplência

É de extrema importância que todos os pacientes independente do tipo de tratamento ou como ele chegou a clínica seja amigo, indicação ou descobriu a clínica, você precisa ter um cadastro completo, ou seja: nome, sobrenome, CPF, RG, data de nascimento, endereço completo, foto (sugiro uma webcam), número para contato, e-mail e dados do(a) responsável caso seja um(a) paciente menor de idade.

2 – Contratos 

Elaborar contratos para reduzir a inadimplência na clínica odontológica

Contratos são de extrema importância pois eles te protegem de ocasionais situações indesejáveis instruindo e informando ao paciente o que acontecerá caso aja descumprimento das cláusulas do contrato por falta de cooperação, abandono do tratamento ou mesmo inadimplência. Procure um contrato justo que te proteja e lembre-se de não começar tratamentos sem ter duas vias prontas para assinar, uma sua e uma do cliente protegendo tanto você quanto ele(a).

3 – Consulte os órgãos de proteção ao crédito

Análise de crédito para clínicas odontológicas

O ideal é você consultar informações disponíveis sobre o histórico de crédito do paciente. Se o paciente tem problemas com pagamentos certamente um tratamento parcelado vai te prejudicar mais para frente. A análise de crédito pode ser realizada dentro do Dental Office pela Connect distribuidor autorizado Serasa Experian, te dando mais segurança e diminuindo e muito, o risco de inadimplência. 

4 – Tenha o cronograma de cobrança bem definido

Pense em colocar a data de pagamento dos boletos de todos os pacientes para uma mesma data, fica muito mais fácil para ver quem está em dia e quem não está. Pense também em colocar próximo ao quinto dia útil do mês (depois) que geralmente é o dia de recebimento da grande maioria dos trabalhadores e não depois do 15º dia pois a coisa mais fácil é achar outra coisa para gastar o dinheiro. Exemplo: na minha clínica todos os boletos são para o dia 15.

5 – Peça entradas

Se você irá realizar um procedimento que terá um custo alto ou que envolverá terceiros, como laboratórios, empresa de alinhadores e produtos mais caros, tais como clareadores, implantes e aparelhos ortodônticos, peça uma entrada antes que cubra esses valores. Uma coisa é não receber pelo serviço, outra ainda pior é não receber e ainda ter que pagar outras pessoas com dinheiro que você nem sequer recebeu. Peça uma entrada que cubra os custos e caso queira, pode-se até parcelar a entrada no cartão já que terá uma certeza maior de recebimento.

Pronto, agora você tem o básico para se preparar para o que poderá acontecer a seguir: a temível inadimplência.

O Software Dental Office é completo pois te dá todas essas ferramentas e muito mais para garantir que você tenha condições de se proteger, cobrar e receber do paciente.

No próximo post iremos falar sobre como agir perante a inadimplência e como cobrar o paciente com um protocolo detalhado para que você e sua secretária tenham um processo definido para essas situações agindo de forma assertiva e profissional.

Espero que tenha gostado do conteúdo. Você pode ver a parte 02 clicando aqui!

Gabriel Baumeier

Guia prático: como acabar com a inadimplência em sua clínica?
Guia prático: como acabar com a inadimplência em sua clínica?